14 de outubro de 2006

Mensagens subliminares

O pequeno está na fase de deixar as fraldas e usar cuecas. Para o entusiasmar, a mãe comprou-lhe umas cuecas do Noddy. Ora eu não sei se foi a melhor ideia. Não vá ele, em cuecas, pôr-se a correr atrás das colegas, na escola, enquanto canta:
"Abram alas para o Noddy, NODDY,
Com a buzina a tocaaaar,
Abram alas para o Noddy, NODDY,
Todos cá fora a brincaaaar"

Enfim, vejo algum risco de a coisa dar asneira.

As tangas do Ricardo (8)

O Ricardo entra, a fazer de Zorro com uma colher de plástico, e sinto um cheiro nauseabundo. Resta dizer que, quando está a brincar, o Ricardo não gosta de ser interrompido.
Pergunto: "Ricardo, fizeste cocó?"
Diz a mãe: "Vi há bocadinho, e não tinha nada."
Diz o Ricardo: "Ouviste, pai? A mãe viu há bocadinho e não tinha nada!"
(O cheiro era no entanto prova inequívoca do que, de facto, por lá se passava...)

13 de outubro de 2006

Estratégia gay


PS só debate casamento e adopção por homossexuais na próxima legislatura. A mim, o objectivo parece-me perfeitamente óbvio e transparente: garantir que, nas próximas legislativas, vai haver mais cruzinhas no quadradinho do PS, postas por homens que usam canetas cor-de-rosa com pompons e por mulheres de cabelo curtinho e que dividem as despesas da casa com uma amiga.

Dificuldades de Primeiro-Ministro

Sócrates diz, acerca da greve, que "(...) reafirmar aos portugueses que não nos falta a coragem, o ânimo nem a vontade política para fazer aquilo com que nos comprometemos quando nos candidatámos."
Dá-se o facto deveras curioso de que este senhor é muito parecido com o que disse, na campanha eleitoral, que não iria aumentar os impostos.
É difícil, o trabalho de PM. É que ele disse tudo isto sem se rir!

Pergunta tabú

"O que é que o cú tem a ver com as calças?"
Eis algo que não é bonito perguntar ao Super-Homem...

Dedicado a Sócrates e aos sindicatos

sub-dedicado a quem hoje desesperou no trânsito de Lisboa...

Para evitar o "excesso de peso" da página do Abéculas, que está a ficar algo dramática, doravante tenciono passar a colocar links para os vídeos em vez de colocar os vídeos propriamente ditos. Espero que os prezados leitores aprovem (ou que se queixem nos comentários).

12 de outubro de 2006

Teoria da conspiração 13 - Ele é que não é parvo

No blog que só peca por ter os links a 500 blogues antes de ter a lista dos posts, o JCS escreveu o que todos nós sabemos sobre o avião que acertou naquela torre que não era gémea. Sem querer estragar o enredo, refiro só que a culpa é do Bush...

As tangas do Ricardo (7)

O Ricardo, na mesa da cozinha, pintava umas folhas de papel.
Quando dei por ele, estava era a pintar as mãos e os braços... Olhei para ele, e sem que eu dissesse nada: "Pai, eu não tenho culpa."
Pensou três segundos, e acrescentou: "Foi um acidente!"

10 de outubro de 2006

As tangas do Ricardo (6)

Aproveitando o 5 de Outubro, a família foi "para fora cá dentro". O destino: uma casa de turismo de habitação, na zona de Peniche.
Preparávamos o pequeno-almoço na sala quando surge o Ricardo, vindo da cozinha. Muito entusiasmado, gritava: "Mãe, os pirolitos! Os pirolitos!"
Pegou num banquinho pequeno e arrancou de novo para a cozinha.
A mãe foi atrás dele, e não queria acreditar na cena:
O Ricardo, em cima do banquinho, e de vassoura em punho, tentava acertar numa gaiola com piriquitos. O objectivo assumido era fazer como faz aos outros insectos (como o caracol da imagem descobriu da pior maneira): esmagá-los!

As tangas do Ricardo (5)

Título alternativo:

Ricardo, o intelectual precoce


A semana passada, enquanto subia comigo no elevador para a escola, apontou para o cartaz abaixo e, movendo o indicador ao longo das frases, "leu" em voz alta:

"O RICARDO HOJE NÃO VAI À ESCOLA.

VAI BRINCAR PARA A ESCOLA DA CAROLINA."

No comments

Alberto João Jardim tem que ser silenciado

Na Madeira, AJJ afirmou que "Portugal está a ser conduzido por gente louca".
Pois eu digo que há limites. Isto tem que acabar. Não pode ser assim. Já sabemos que Alberto João Jardim diz o que lhe apetece, com total impunidade. Mas temos que nos perguntar:
Qual é o limite?
Quando é que este senhor deixa de ocupar tempo de antena para dizer coisas óbvias que já todos nós sabemos?

9 de outubro de 2006

Fenómeno

Porque é que quando estamos sentados e toca o telemóvel, nos levantamos para atender?