17 de novembro de 2005

Presidende Jurássico

Vou tentar escrever este post no maior respeito pelo preceito que diz que não é bonito gozar com os velhinhos. De resto, a lei prevê uma idade mínima para ser Presidente da República, mas não prevê uma idade máxima. Cada país tem o presidente que merece.

Quanto a Soares, não é segredo: ele é o seu próprio pior inimigo.
"Everyone is entitled to be stupid, but man, you're abusing that privilege."

Um candidato que diz que apresenta o seu boletim de saúde se os outros o fizerem, e que refere constantemente que está de boa saúde, faz-me lembrar o treinador Peseiro quando dizia que "ainda tinha espaço de manobra", "ainda tinha crédito". Quem discute se tem crédito ou espaço de manobra para trabalhar, é porque já não os tem. Quem pretende uma apresentação pública de boletins de saúde, do tipo "eu mostro o meu, se tu mostrares o teu", está gagá.

Admito que parte disto possa ser inveja, pois não sei se viverei até aos 80 anos, ainda por mais mantendo a próstata em bom funcionamento (ainda que com muito cheiro a queimado vindo dos fusíveis).

A campanha de Cavaco começou, como é sabido, muito antes da de Soares (só este último parece não ver isso). Cavaco tem seguido o conselho de Napoleão Bonaparte: "Never interrupt your enemy when he is making a mistake."

A campanha presidencial de Cavaco começou no dia em que disse, pela primeira vez, que não fazia comentários sobre as presidenciais. Mas o verdadeiro arranque verificou-se quando aproveitou as legislativas que Sampaio ofereceu ao PS, como todos perceberam, mas que também ofereceu a Cavaco.

Qual era o cenário mais vantajoso para Cavaco, o candidato a presidente? Evidentemente, ter um governo de esquerda, não de direita. Evidentemente, ter um governo em início de mandato, quando as medidas difíceis são aplicadas, e não um governo em fim de mandato, quando o apelo à eleição seguinte manda afrouxar o cinto. Um governo de esquerda e com maioria absoluta? Isso seria bom de mais para ser verdade.

O que é que se passou? Alguns artigos cirúrgicos publicados, apertando o espaço de manobra de Santana Lopes, ainda antes das legislativas. Depois, aquilo a que alguém chamou "Um silêncio ensurdecedor", quebrado apenas para manifestar a sua revolta sobre a inclusão das sua foto num cartaz do PSD, com o argumento de que isso prejudicava a sua carreira académica. Argumento tão fraquinho, que é de facto ofensivo. Ou haverá quem, na Universidade Católica, desconheça que ele foi Primeiro-Ministro durante 10 anos? E que foi militante e secretário-geral do PSD? Cá por mim, penso que Santana Lopes devia ter mantido o cartaz. Quem lá estava, estava por ser ex-dirigente do PSD, e independentemente da sua ambição futura.

A melhor razão, talvez a única razão, para votar Cavaco é evidentemente o medo, o pânico, de ter Soareossauro como Presidente.

Cá por mim, que sempre votei na direita, parece-me claro que não vou votar em Cavaco, e seguramente que não vou votar no Soareossauro.

A minha primeira escolha é Manuel João Vieira:
http://www.vieira2006.com/

Em alternativa, talvez acabe por votar no Candidato Alegre. Parece-me o mais merecedor do meu voto.

Dedico por fim aos vários candidatos presidenciais o seguinte trecho:

There's a passage I got memorized, seems appropriate for this situation: Ezekiel 25:17.
"The path of the righteous man is beset on all sides by the inequities of the selfish and the tyranny of evil men.
Blessed is he who, in the name of charity and good will, shepherds the weak through the valley of darkness, for he is truly his brother's keeper and the finder of lost children.
And I will strike down upon thee with great vengeance and furious anger those who attempt to poison and destroy my brothers.
And you will know my name is the Lord when I lay my vengeance upon you."

1 comentário:

jts disse...

Caro AS, ja temos resposta em www.nevskypr.blogspot.com